segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

[BIBLIOTECA PESSOAL] Legislação do SUS: Questões Comentadas.


#LivrosNoCaminhoDaEnfermagem
🔹TÍTULO: Legislação do SUS: Questões Comentadas
🔹EDITORA: Impetus
🔹EDIÇÃO: 2. ed, 2014
🔹AUTOR: Romulo Passos
🔹LINK: http://www.impetus.com.br/catalogo/produto/432/legislacao-do-sus---questoes-comentadas-_romulo-passos

O que falar desse livro? Linguagem clara? Objetivo? Descomplicado? Garanto que a obra abrange todas essas características citadas. São mais de 400 questões de concurso comentadas, questões essas que abrangem conteúdos como Constituição Federal de 1988, Leis Orgânicas da Saúde, Normas Operacionais Básicas, Pacto pela Saúde, Políticas pertinentes, entre outros muitos assuntos... 

Sabemos que é sagrado em TODO concurso ter questões acerca da Legislação do SUS e que o assunto é bem amplo e até difícil de assimilar. Esse livro veio pra descomplicar mesmo! Os comentários são de claro entendimento, possui esquemas fáceis de absorver e ajuda quem está estudando a formular seus próprios argumentos sobre os assuntos abordados.

A obra tem por objetivo potencializar os estudos sobre a legislação do Sistema Único de Saúde (SUS), assunto cobrado na maioria dos concursos e residências da área.

A legislação do SUS representa aproximadamente 25% do valor das provas. Pensando nisso, os autores, especialistas na área da saúde e jurídica, reuniram 450 questões de concursos recentes, comentadas e separadas por assunto, selecionadas de 160 provas, de mais de 60 institutos. A obra é estruturada com centenas de esquemas para memorização e revisão dos temas.
É indicado a estudantes e concurseiros da área da saúde, pois aborda toda a legislação do SUS cobrada em concursos públicos e residências.

Diferenciais:
🔸É a única obra do mercado a abordar completamente a legislação do SUS.
🔸Apresenta questões recentes das principais bancas do país.
🔸As questões são minuciosamente comentadas em uma linguagem acessível e voltada para concursos.
🔸Estruturada com centenas de esquemas para memorização e revisão dos temas.
🔸Contempla dezenas de questões elaboradas pelo autor para sanar as lacunas nos conteúdos trabalhados.
🔸O autor trabalha os assuntos de forma sequencial, ensinando, passo a passo, a legislação do SUS.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

[BIBLIOTECA PESSOAL] Medicamentos: Cálculos de Dosagens e Vias de Administração.


#LivrosNoCaminhoDaEnfermagem
🔹TÍTULO: Medicamentos: Cálculos de Dosagens e Vias de Administração
🔹EDITORA: Manole
🔹EDIÇÃO: 1. ed, 2013
🔹AUTOR: Loide Corina Chaves
🔹LINK: http://www.manole.com.br/medicamentos-calc-de-dosagens-chaves/p

Cálculos, cálculos e mais cálculos. Esse é o foco desse livro! A obra conta com MUITOS exemplos e explicações acerca de uma das atividades mais importantes da equipe de Enfermagem.

A assistência de Enfermagem é ampla, composta de ações embasadas em conhecimento e em responsabilidade.

O preparo e a administração de soluções terapêuticas correspondem a duas das etapas de maior complexidade nessa assistência, e o profissional deve estar apto a prestá-la com segurança por meio do domínio da matemática básica e, consequentemente, dos cálculos de soluções medicamentosas.

Este livro apresenta noções de matemática básica, o passo a passo de cada cálculo de dosagens de soluções terapêuticas e as principais vias de administração de medicamentos, mostrando suas vantagens e desvantagens, de forma clara e didática.

É uma obra indispensável para o dia a dia do profissional de enfermagem e da saúde.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

[BULÁRIO] Clonazepam.



  • REFERÊNCIA: rivotril.
  • DESCRIÇÃO: é um ansiolítico.
  • INFORMAÇÕES TÉCNICAS: as benzodiazepinas atuam como depressores do SNC, produzindo todos os seus níveis de depressão, desde uma leve sedação até hipnose, dependendo da dose. Calcula-se que o clonazepam estimule os receptores de GABA (ácido gama aminobutírico) no sistema reticular ativador ascendente. Dado que o GABA é inibidor, a estimulação dos receptores aumenta a inibição e bloqueia a excitação cortical e límbica, após estimular a formação reticular do talo cerebral. É absorvido no trato gastrintestinal. A eliminação do fármaco é lenta, pois os metabólitos ativos podem permanecer no sangue vários dias e inclusive semanas, com efeitos persistentes. O clonazepam é de meia-vida intermediária. Sua união às proteínas é alta, metabolizando-se no fígado e excretando-se por via renal.
  • INDICAÇÕES: tratamento de crises mioclônicas. Ausências do tipo epilépticas refratárias a succinimidas ou ácido valpróico. Crises convulsivas tônico-clônicas (geralmente associadas com outro anticonvulsivo). Tratamento do pânico.
  • CONTRAINDICAÇÕES: a relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de intoxicação alcoólica aguda, antecedentes de dependência de drogas, glaucoma de ângulo fechado, disfunção hepática ou renal, depressão mental grave, hipoalbuminemia, miastenia grave, psicose, porfiria ou doença pulmonar obstrutiva crônica grave.
  • REAÇÕES ADVERSAS: Os pacientes geriátricos ou debilitados, as crianças e os pacientes com distúrbios hepáticos são mais sensíveis às benzodiazepinas no SNC. Podem ocorrer enjoos ou sensações de enjoos, sonolência e, raramente, alterações de comportamento, alucinações, erupções cutâneas ou prurido, cansaço ou debilidade não-habituais, distúrbios de micção.

#BulaNoCaminhoDaEnf

[BULÁRIO] Brometo de Ipratrópio.



  • REFERÊNCIA: atrovent.
  • DESCRIÇÃO: é um broncodilatador.
  • INFORMAÇÕES TÉCNICAS: trata-se de um derivado amônia quaternária da atropina. A broncodilatação é produzida mais como efeito local e limitado ao lugar da ação que como efeito sistêmico. Atua por inibição competitiva dos receptores colinérgicos do músculo liso brônquico. Este efeito contraria a ação da acetilcolina no seu receptor de membrana e bloqueia a ação broncorrestritiva dos impulsos vagais eferentes. Pode também inibir a ação dos mediadores químicos potencializada pela acetilcolina, mediante ao bloqueio dos receptores colinérgicos da superfície dos matócitos. A absorção sistêmica é mínima; não atravessa a barreira hematoencefálica. Pequena quantidade da droga que pode ser absorvida é metabolizada no fígado. O início de sua ação fica evidente em 5 a 15 minutos e dura ao redor de 3 a 4 horas. É eliminada por via fecal, 90% de forma inalterada.
  • INDICAÇÕES: broncospasmo associado com doença pulmonar obstrutiva crônica, incluindo bronquite crônica e enfisema pulmonar. Coadjuvante no tratamento da asma brônquica.
  • CONTRAINDICAÇÕES: a relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de obstrução do colo vesical, hipertrofia prostática, glaucoma de ângulo fechado e retenção urinária.
  • REAÇÕES ADVERSAS: geralmente, não aparecem efeitos adversos com doses terapêuticas dado as baixas concentrações sanguíneas. Pode aparecer tosse ou secura na garganta, cefaleias, tonturas, nervosismo, náuseas, visão turva, congestão nasal, tremores, cansaço ou debilidade não habituais, erupção cutânea ou urticária e estomatite.

#BulaNoCaminhoDaEnf

[BULÁRIO] Fenoterol.



  • REFERÊNCIA: berotec.
  • DESCRIÇÃO: antiasmático.
  • INFORMAÇÕES TÉCNICAS: o bromidrato de fenoterol estimula os receptores B 2-adrenérgicos ativando a adenilatociclase; favorece a transformação do ATP em AMPc; isto diminui a corrente de cálcio através da membrana celular, que por sua vez relaxa a fibra muscular lisa, que é a chave de sua ação broncodilatadora. Também inibe a degranulação dos granulócitos, o que lhe outorga uma ação antialérgica. Melhora a depuração mucociliar, facilitando a limpeza da árvore bronquial. A concentração máxima plasmática é observada em 1 ou 2 horas e seu efeito broncodilatador é mantido por 8 horas. Administrado por via inalatória (aerossol ou nebulização), atua de imediato e sua ação perdura também até 8 horas, sem correlação com seu nível plasmático, dado que exerce um efeito específico no nível local.
  • INDICAÇÕES: tratamento e profilaxia da dispneia na asma brônquica, e outras doenças com componente obstrutivo. Esta droga é indicada em pacientes com obstrução brônquica ou com assistência respiratória mecânica. É utilizada no teste de broncodilatação em provas fracionais respiratórias e na profilaxia da asma induzida por exercício.
  • CONTRAINDICAÇÕES: seu uso é contraindicado em pacientes com hipertireoidismo, taquiarritmias, insuficiência coronária, cardiopatia hipertrófica obstrutiva, enfarte do miocárdio recente, angina pectoris, hipertensão arterial aguda, síndrome de Raynaud, hipersensibilidade ao fenoterol.
  • REAÇÕES ADVERSAS: a superdosagem pode produzir um ligeiro tremor distal das extremidades e inquietude. Podem aparecer palpitações, taquicardia, enjoos, cefaleias, especialmente em pacientes hipersensíveis aos betamiméticos. Em alguns casos foram observadas tosse ou broncoconstrição paradoxal.

#BulaNoCaminhoDaEnf

[BULÁRIO] Fenobarbital.


  • REFERÊNCIA: gardenal.
  • DESCRIÇÃO: é um anticonvulsivante.
  • INFORMAÇÕES TÉCNICAS: barbitúrico, depressor não-seletivo do SNC, capaz de produzir distintos níveis de alteração do estado anímico. Recentes estudos demonstraram que os efeitos sedativos-hipnóticos e anticonvulsivantes podem estar relacionados com sua capacidade de potencializar ou mimetizar a ação simpática inibidora do ácido gama-aminobutírico (GABA). Deprime o córtex sensorial, diminui a atividade motora, altera a função cerebral e produz sonolência, sedação e hipnose. Parece ter um efeito no nível do tálamo, onde inibe a condução ascendente na formação reticular, interferindo assim na transmissão dos impulsos até o córtex. Como anticonvulsivante, acredita-se que atue deprimindo a transmissão monossináptica e polissináptica no SNC. Aumenta o limiar de estimulação elétrica motora do córtex. É metabolizado no fígado mediante o sistema de enzimas microssômicas hepáticas.
  • INDICAÇÕES: tratamento de insônia, coadjuvante de anestesia (medicação pré-operatória), crises epilépticas tônico-clônicas. Profilaxia e tratamento das crises convulsivas.
  • CONTRAINDICAÇÕES: porfiria aguda, gravidez e lactação. A relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de anemia grave, antecedentes de asma, diabetes mellitus, coma hepático, hipercinesia, hipertireoidismo, depressão mental, disfunção hepática ou renal. 
  • PRECAUÇÕES: evitar a ingestão de álcool ou outros depressores do SNC. Ter precaução se aparecerem tonturas, sensações de enjoos ou sonolência. Em pacientes com disfunção hepática ou renal devem ser prescritas doses menores. A medicação não deve ser suspensa abruptamente, e sim de forma gradual. Atravessa facilmente a placenta, as concentrações mais altas são encontradas nela, no fígado fetal e cérebro fetal. Por ser excretada no leite materno, seu uso pelas mães pode provocar depressão do SNC dos lactentes. Algumas crianças podem reagir ao tratamento com excitação paradoxal e os idosos com excitação, confusão ou depressão mental.
  • REAÇÕES ADVERSAS: em raras ocasiões pode produzir dermatite exfoliativa como resultado de hipersensibilidade. Pode ser produzida dependência com doses elevadas ou tratamentos prolongados. São de incidência frequente: torpor e instabilidade, enjoos, sonolência e, raras vezes, ansiedade, nervosismo, constipação, cefaleias, irritabilidade, náuseas, vômitos, excitação não-habitual, hemorragias ou hematomas não-habituais. Com o uso crônico ou prolongado pode aparecer dor nos ossos, anorexia, perda de peso ou debilidade muscular. Os sinais de toxicidade aguda são: confusão grave, febre, diminuição ou perda de reflexos, bradicardia, bradipneia, andar instável, debilidade grave.

#BulaNoCaminhoDaEnf

[BULÁRIO] Salbutamol.



  • REFERÊNCIA: aerolin.
  • DESCRIÇÃO: é um broncodilatador.
  • INFORMAÇÕES TÉCNICAS: agonista seletivo beta 2-adrenérgico da musculatura brônquica e uterina, com escassa ou nenhuma ação nos receptores beta 1-adrenérgicos da musculatura cardíaca.
  • INDICAÇÕES: broncospasmo na asma brônquica de todos os tipos, bronquite crônica e enfisema. Sintomas do parto prematuro durante o terceiro trimestre da gravidez, não complicada por condições como placenta prévia, hemorragia pré-parto ou toxemia gravídica.
  • CONTRAINDICAÇÕES: é contraindicado em pacientes com hipersensibilidade ao princípio ativo. Não deve ser usado em ameaça de aborto, durante o primeiro ou segundo trimestre de gravidez. 
  • PRECAUÇÕES: pode provocar hipopotassemia grave, razão pela qual este efeito pode ser potencializado pelo uso de derivados xantínicos, esteroides, diuréticos, em pacientes com asma aguda grave. Seu uso não é recomendado durante o período de lactação e, embora sua utilidade no controle do parto prematuro seja reconhecida, não foi estabelecida total inocuidade no primeiro trimestre de gravidez. Pode aumentar os níveis de glicose no sangue, podendo apresentar um quadro de cetoacidose nos diabéticos. O tratamento do parto prematuro com salbutamol aumenta a frequência cardíaca materna de 20 a 50 batimentos por minuto.
  • REAÇÕES ADVERSAS: raramente, reações de hipersensibilidade, incluindo angioedema, urticária, hipotensão e choque; pode provocar hipopotassemia grave. Na terapêutica inalatória, pode provocar broncospasmo paradoxal, devendo-se suspender o tratamento e instituir terapêutica alternativa imediatamente. Em casos isolados, cãibras musculares transitórias.
#BulaNoCaminhoDaEnf